Santo André, * *

Trabalhadores da Educação de Santo André começam Greve Sanitária no dia 8 de março
A decisão foi aprovada por todos os profissionais da Educação em Assembleia do Sindserv Santo André, na noite de sexta-feira (26).

Por: Viviane Barbosa, Redação do Sindserv Santo André
Publicação: 01/03/2021

Imagem de Trabalhadores da Educação de Santo André começam Greve Sanitária no dia 8 de março

card Sindserv Santo André

A Greve Sanitária em Defesa da Vida dos trabalhadores e trabalhadoras da Educação de Santo André agora acontecerá no dia 8 de março. A decisão foi aprovada por todos os profissionais da Educação em Assembleia do Sindserv Santo André, na noite de sexta-feira (26).

A Greve Sanitária é uma resposta ao Decreto Municipal 17.596, de 25 de fevereiro, assinado pelo prefeito Paulo Serra (PSDB) e pela Secretária de Educação, professora Cleide Bochixio, que limita a 50% o retorno presencial das atividades escolares para a rede de ensino municipal e estadual em Santo André de forma gradual, a partir de 8 de março, para os ensinos infantil, fundamental e médio.

Importante destacar que a Greve Sanitária estava programada para essa segunda-feira (1/3), e foi alterada em assembleia porque o prefeito resolveu “adiar para uma semana o retorno presencial” -- após o aumento de casos de COVID-19 na cidade. 

Os profissionais da Educação reforçam que a Greve Sanitária será iniciada caso a Prefeitura torne o retorno presencial obrigatório, sem home-office/ensino remoto e sem vacinação para todos.

Os trabalhadores avaliam que é uma incoerência e falta de humanidade da Prefeitura propor esse Decreto em meio ao aumento da pandemia de COVID-19 na região do Grande ABC e no estado de São Paulo.

Santo André e mais quatro cidades estão em lockdown noturno deste o último sábado, justamente para reduzir os casos de COVID-19.

A região do ABC registrou recorde de mortes por Covid em fevereiro. Nos casos confirmados, fevereiro também apresentou crescimento no número de infectados: 17.091 contra 16.252 em janeiro. Foi o segundo mês com maior número de diagnósticos de coronavírus no ABC, depois de julho do ano passado, quando 19.595 testaram positivo, segundo levantamento do Repórter Diário.

Merendeiras e Lactaristas

O Sindicato fez pressão e as merendeiras e lactaristas, que voltariam ao trabalho nesta segunda-feira, agora farão suas atividades em home-office.

Todos os setores da Educação andreense irão aderir à Greve Sanitária: agentes de desenvolvimento infantil, educadores, professores, professoras,  merendeiras, lactaristas, inspetores,  e outras categorias da comunidade escolar.

Greve é direito Constitucional

Durante a Assembleia da Educação, dirigentes do Sindserv Santo André reforçaram que a Greve é um direito constitucional e que a luta é pela preservação da vida.

“Temos que resistir às pressões. Estamos deflagrando essa Greve Sanitária para proteger a nossa vida, dos nossos filhos, filhas, pais, alunos e colegas de trabalho contra a COVID-19. Nossa vida é mais importante e o nosso direito de greve está resguardado pela Constituição, que é a Lei maior do nosso país. É importante que todos nós estejamos unidos e o retorno à escola somente com condições sanitárias e vacinação para todos”, disse a diretora de Formação do Sindicato, a professora Gabriela Mousse.

Manutenção do trabalho home-office e ensino remoto

Os trabalhadores e trabalhadoras da Educação aprovaram a continuação do trabalho home-office e do ensino remoto até que todos profissionais sejam vacinados contra COVID-19. 

Os profissionais da Educação defendem o retorno presencial nas escolas somente com garantia de todos de medidas sanitárias de segurança, infraestrutura adequada nas escolas e vacinação para todos. 

Também reivindicam que sejam disponibilizados todos os protocolos sanitários de combate à COVID-19 nas escolas, EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) e testagem em massa para todos profissionais.


Agenda de Lutas da Educação 

O Sindserv Santo André enviará o aviso de *Greve Sanitária em Defesa da Vida* para Prefeitura, realizará semanalmente reuniões com todos os grupos de trabalhadores e trabalhadoras da Educação para organização do movimento. 

Uma live também será promovida para esclarecer dúvidas dos profissionais da Educação a respeito da Lei 7.783/1989, que assegura o direito de greve, e também para alertar a situação atual do aumento de casos de COVID-19 no Brasil, que atingiu a maior média móvel semanal de mortes em toda a pandemia. O índice chegou ao seu número mais alto: 1.205 óbitos por dia. 
 




Comunicação e Imprensa do SindServ Santo André
Agência: Mídia Consulte Comunicação & Marketing
Fone: 55 + (11) 9+6948-7446
Editora e Assessora de Imprensa: Viviane Barbosa MTB 28121
Redação: jornalismo@midiaconsulte.com.br

Mídia

Facebook

Galeria de Fotos

Reunião Plena do Sindserv Santo André - 22/02/2021